Em visita ao Brasil, novo CEO JLT Latam mostra otimismo com a região

08 June 2017

Encontro no país marca a integração das operações dos vários países da região no novo Comitê JLT para América Latina

JLT Latam

Acompanhado dos CEOs das maiores operações do grupo na América Latina, o novo CEO da JLT para a região, Mark Drummond-Brady, se reuniu ontem em São Paulo com executivos de seguradoras, resseguradoras e grandes clientes do mercado brasileiro. O encontro marcou a criação do novo Comitê JLT para América Latina e refletiu o otimismo do grupo com a região.

 

"A América Latina representa 15% do faturamento do JLT Group e 10% do lucro. É uma região importante, onde podemos reforçar nossa estratégia de crescimento orgânico sendo inovadores, com a oferta de novos produtos. É isso que os clientes esperam em momentos de crise", disse.  

 

O executivo ressaltou a atuação global do grupo, presente em mais de 40 países, mas enfatizou a importância do comitê em uma estratégia regional. "Temos que pensar na JLT como uma marca regional e não local, garantir que os clientes nos desafiem com novas ideias e pensar em maneiras de melhorar a entrega com soluções regionais", afirmou.

 

Responsável pela reestruturação da operação da JLT no Brasil há 10 anos, Brady se disse orgulhoso com o time da empresa no país. "Fui responsável por montar esse negócio há dez anos porque sempre acreditamos nesse modelo de ter uma conexão maior com a região. Estou orgulhoso do time que montamos", completou.

 

Sobre o mercado, o executivo comentou o problema do excesso de capitais, que tem afetado as taxas de seguros e resseguros no mundo todo. "O setor de seguros está sofrendo, mas isso tende a mudar", afirmou.

 

O CEO da JLT Brasil, Nicolau Daudt agradeceu a presença dos CEOs dos países vizinhos e comemorou a integração. "No Brasil, a JLT tem sido pioneira em integrar soluções de seguros e resseguros para garantir o melhor para os clientes. O comitê para América Latina ajuda a ampliar essa integração. As fronteiras estão caindo. As seguradoras precisam de soluções regionais e cada vez mais complexas", completou. 

Além do Brasil, a JLT possui operações na Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru.